A Valsa que dança a Menina

Vejo a menina varrer a calçada de sua casa. Enquanto tomo meu sorvete sentado no meio-fio da rua. Porque o varrer é dança feita a dois, rebolado. A cena é de uma valsa a voar. Já foi microfone, quando uma bela canção foi cantada. E agora faz às vezes de um amor almejado. Mas é preciso reclinar para o beijo, para que pareçam mais românticos, e os beijos nos quais o outro, tomado nos braços, faça a paixão desabrochar. E o amor reclina-se sem objetar. A magreza dela é como o da vassoura, um par perfeito. Quem dos dois é objeto um do outro? Penso cá comigo enquanto acabo meu sorvete.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s